O que é a camellia sinensis?

26 mar 19
O que é a camellia sinensis?

Uma planta versátil, nutritiva e complexa. Assim é a Camellia sinensis, uma árvore que se tornou conhecida e apreciada no mundo inteiro por suas propriedades terapêuticas e pela complexidade presente em suas variedades. Neste artigo, vamos explicar para você o que é a Camellia sinensis e as suas principais características. Vamos lá?

A Camellia sinensis faz parte da família botânica Theaceae e foi catalogada inicialmente  como Thea sinensis pelo botânico sueco Carl Von Lineé (também conhecido por Carl Linnaeus ou Carolus Linnaeus), no século XVII. Posteriormente, foi movida para o gênero Camellia pelo botânico Robert Sweet.

Esse gênero da planta possui mais de 250 variedades diferentes,  no entanto nem todas são usadas para o chá. A planta é nativa da Ásia e atualmente é a maior região produtora do mundo.

Como é a camellia sinensis

Parecida com um arbusto selvagem, a árvore do chá pode chegar até 30 metros de altura livre na natureza, no entanto, nas plantações de chá são feitas podas frequentes para que não ultrapasse 1,5 metro. 

Ela produz folhas na cor verde, que pode variar do tom claro ao escuro,  com tamanhos  que variam de 1 a 5 centímetros, podendo chegar em alguns casos até 20 cm.

Apesar da raridade, a planta produz pequenas flores brancas, que são reprodutoras de sementes, geralmente de 1 a 5 por botão. A florada não é tão comum nas plantações, devido às colheitas frequentes dos brotos e folhas novas.

Por isso estima-se que um arbusto renda até 5 colheitas ao ano.

O cultivo da Camellia sinensis exige cuidado e dedicação para que sejam produzidas folhas e brotos de alta qualidade para os chás.  Não por acaso que a maioria das colheitas são feitas de forma manual, com uma pequena parcela de plantações automatizadas.

plantação de camellia sinensis

Exemplo de uma plantação de Camellia sinensis

Variedades da Camellia sinensis

A partir da Camellia sinensis são produzidos 6 tipos de chás, branco, amarelo, verde, oolong, preto e escuro. Para isso, são usadas, em sua maioria, duas variedades diferentes da árvore, a sinensis e assamica, que possuem características distintas. Veja abaixo as principais diferenças entre elas.

Variedade sinensis – Camellia sinensis sinensis

  • Possui folhas pequenas
  • É adaptada ao clima frio e enevoado, em altitudes mais altas
  • Geralmente cultivada nas regiões montanhosas da China, Taiwan e Japão

Variedade assamica – Camellia sinensis assamica

  • Possui folhas maiores de até 20 centímetros
  • Ideal para regiões tropicais, como Índia, Sri Lanka e Quênia

Novas variedades

Embora as duas sejam as mais conhecidas, já existem diversas variedades cultivadas em exploração em centros de reprodução controlada, a fim de produzir espécies com as características desejadas.

Um fator que possibilita o surgimento de novas variações é a alta compatibilidade  de cruzamento da espécie Camellia sinesis com outras do gênero Camellia, o que culmina na evolução da planta e surgimento de novas geneticamente diversas.

Outro método que tem ganhado força é o cultivar, terminologia usada para uma planta que foi cultivada, ou seja, criada por intervenção humana para obter ou melhorar características que antes não existiam. 

Esse processo é muito comum,  principalmente para criar resistência a fatores externos, composição entre outros fatores.  Os cultivares são regulamentados por uma legislação que varia de acordo com o país/região.

Com a expansão do chá pelo mundo, surgiu a demanda por chás de qualidade e a reprodução orientada pelo homem facilitou a criação de plantas com padrões e características desejadas, a fim de facilitar a produção e cultivo e assim, criar chás que atendessem aos mais exigentes.

Por isso, não é tão simples identificar e diferenciar as variedades da Camellia, diante das possibilidades e crescimento dos métodos de reprodução.

Quais são as propriedades da Camellia sinensis?

É bem provável que você já tenha ouvido falar dos benefícios do chá verde, certo?

A verdade é que todos os tipos de chás da Camellia sinensis possuem muitas propriedades nutricionais benéficas ao organismo e que combinadas, podem contribuir para a melhora da saúde.

Por exemplo, um dos mais conhecidos é o poder de auxiliar no emagrecimento, já que o chá verde acelera o metabolismo e se aliado a exercícios físicos e alimentação saudável, pode ajudar na perda de peso.

Outra curiosidade é sobre a cafeína presente no chá, que atua de maneira diferente ao café.

Isso porque o chá contém a l-teanina, um aminoácido que age no sistema nervoso central e estimula a atividade cerebral, responsável pela sensação de relaxamento.

Ou seja,  juntas, essas duas substâncias estimulam o cérebro por um longo período, fazendo com que você permaneça em estado de alerta, focado e com atenção nas atividades por muito mais tempo. 

Como o café não possui esse aminoácido, o efeito da cafeína é mais curto.

São diversos componentes químicos presentes nas folhas e brotos da planta que possuem ação antioxidante, antiinflamatória e quimioprotetora, protegendo a saúde de diversas doenças.

Eles atuam de diversas maneiras e seus efeitos estão relacionados ao consumo frequente dos chás provenientes da planta asiática.

Veja abaixo os principais componentes químicos que compõem uma folha de chá:

  • Catequinas
  • Fluor
  • Alcalóides
  • Oleo essencial
  • Manganês
  • Potassio
  • Bioflavonóides
  • Acido gálico
  • Ácido quinico
  • Galato epigalocatequina
  • Betacaroteno
  • Tiamina (B1)
  • Riboflavina B2
  • Vitamina c
  • Vitamina b6
  • Ácido fólico
  • Theanina
  • Cafeína
  • Tanino
  • Minerais

Agora que você já conhece a planta responsável por originar o chá, aproveite para conhecer as 6 variedades.