Chá verde: entenda o que é e como é feito

29 ago 19
Chá verde: entenda o que é e como é feito

O chá verde é um dos mais conhecidos no mundo. Ele se tornou popular devido aos seus inúmeros benefícios para a saúde e principalmente, pela sua contribuição em dietas focadas em emagrecimento. Mas muito além disso, ele é uma bebida diversa em sabor, aroma e aparência e tradicional em muitas culturas.

Ele é elaborado com as folhas e brotos da Camellia sinensis.

Atualmente, é produzido no mundo inteiro, mas os mais nobres são os cultivados e elaborados na China e no Japão, seguindo técnicas milenares a fim de produzir um chá de excelente qualidade.

Aqui no Brasil existem alguns chazais que também investem no chá verde, como os das famílias Yamamaro e Amaya, na cidade de Registro, em São Paulo.

Processamento do chá verde

Cada tipo de chá tem um um método de processamento padrão, mas quem dá o toque especial é o mestre do chá, o especialista realizar as etapas de acordo com a sua técnica.

Depois de colhidas, as folhas e brotos são murchadas e depois, passam pela fixação, que é a aplicação de calor em forma de vapor, para romper o processo de oxidação.

Por fim, as folhas passam pela secagem e estão prontas para o consumo.

O toque do mestre está em definir quanto tempo o chá permanece em cada etapa, regulagem de temperatura e até mesmo se a produção é manual ou automatizada.

Tudo isso influencia na preservação dos compostos químicos das folhas e na liberação de aromas, sabor e aparência do licor.

Perfil do chá verde

Existem vários fatores que influenciam no perfil do chá verde.

O cultivar usado, a localização geográfica, as espécies de plantas que estão ao redor, o clima e próprio método de cultivo e processamento. 

Por isso, de acordo com a região de origem,  o aroma, o sabor e até a cor do licor será bem diferente. Um único tipo de chá, com várias possibilidades.

Existem dois estilos principais do chá verde.

O chinês possui um perfil mais suave, leve, doce e aromático, com notas que remetem muito a vegetais cozidos. O Gunpowder e Lung Ching são os mais famosos.

O japonês, por sua vez, é mais intenso e adstringente, tostado e as notas remetem muito a algas, peixe e salgado.

Entre os mais conhecidos estão o matcha, gyokuro e sencha.

Dentro destes estilos, existem diversas variações de chá verde, capazes de proporcionar experiências muito distintas dentro de uma mesma variedade.

Uma característica que é muito comum nesse tipo de chá – e suas variações é a adstringência, que costuma ser suave e leve. 

Se houver um amargor forte na bebida – ou aquela sensação de “travar a língua” é sinal de que houve algo errado, como o uso de chá em saquinho ou de má qualidade ou ainda, foi deixado muito tempo em infusão.

O responsável por causar o amargor é o tanino, uma substância natural encontrada em diversas plantas, que atua como um sistema de defesa contra insetos e microorganismos.

Quanto mais tempo as folhas ficarem em contato com a água, mais taninos serão liberados.

Por isso, o chá verde deve ser preparado em temperatura que varia entre 60°C a 80°C, com infusão de 1 a 2 minutos.

Propriedades do chá verde

O chá verde possui inúmeras propriedades benéficas para o organismo, como antioxidantes, vitaminas, minerais entre outras, como falamos aqui.

A mais famosa atribuição ao chá verde é a sua capacidade de auxiliar na perda de peso. Ele é rico em flavonoides e catequinas, substâncias que controlam o metabolismo das gorduras e incentivam a quebra delas.

No entanto, apenas o consumo da bebida pode não ser suficiente para o emagrecimento, sendo necessário equilibrar com a prática de exercícios físicos, dieta equilibrada e acompanhamento de um especialista, como médico ou nutricionista.

Você já conhece os 6 tipos de chás? Descubra aqui